quinta-feira, 1 de março de 2018

Alberto Osório de Castro (01.03.1868 – 01.01.1946)

Alberto Osório de Castro foi um poeta e político português, nascido a 1 de março de 1868, em Coimbra, e falecido a 1 de Janeiro de 1946, em Lisboa. 

Licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, onde ganhou interesse pela literatura, tendo colaborado na revista Boémia Nova, juntamente com António Nobre.

Foi juiz na Índia, em Angola e em Timor. Regressado ao continente português, exerceu os cargos de juiz do Supremo Tribunal de Justiça e presidente do Conselho Superior de Administração Pública. 

Publicou o seu primeiro livro de poesia em 1895 com o título Exilados. A este, seguiram-se A cinza dos mortos, 1906, Flores de Coral, 1908, e o Sinal da Sombra, 1923. Situado entre o decadentismo e o simbolismo, evoluiu depois para um formalismo de sabor parnasiano. Em 1943 publicou a monografia A ilha Verde e Vermelha de Timor, na qual faz uma detalhada descrição do povo e da paisagem timorense.

A sua obra poética encontra-se reunida em dois volumes organizados por António Osório e publicados sob a chancela da Imprensa Nacional-Casa da Moeda em 2004.
Obras disponíveis para empréstimo na Rede de Bibliotecas do Concelho de Arganil.

Leia, porque ler é um prazer!

Sem comentários:

Enviar um comentário

O seu comentário é bem vindo! Partilhe as suas ideias sobre livros e escritores, tente seduzir alguém para o prazer de ler!